sexta-feira, 13 de março de 2009

4 a 1 fora o show!


Iniciarei de forma pouco usual essa postagem. Começo elogiando primeiramente a declaração dada pelo técnico Ney Franco, que ao invés de usar subterfúgios e se prender à um ou outro lance polêmico, reconheceu a superioridade cruzmaltina e considerou, como não podia ser diferente, a vitória vascaína merecida e justa, como de fato foi.


Quando as duas mehores equipes de uma competição se enfrentam, em tese, promete-se um grande jogo. A tese foi confirmada pelas duas equipes, que a despeito das muitas faltas e do festival de cartões distribuídos pelo árbitro, protagonizaram um espetáculo digno de um clássico dessa grandeza. Um jogo muito aberto, muito disputado, como indicam os 13 cartões distribuídos, e sobretudo, um jogo repleto de chances de gol.


Adotando postura que há muito não víamos no Vasco em um clássico, conseguimos ótima vitória sobre nosso eterno freguês. Alucinante, vibrante, foi assim que começou o clássico, especialmente o Vasco. Após bela jogada de Jéferson rabiscando a defesa alvinegra, Carlos alberto recebeu e esperou o momento certo para deixar Élton de frente pro crime; o atacante com o faro de gol que lhe é peculiar, abriu o placar batendo cruzado. Mesmo com o gol, o Vasco seguiu em cima e teve boas chances de ampliar. Boa chance também desperdiçou o botafogo. Jean carioca recebeu na corrida e saiu na cara do goleiro Tiago que, confirmando a excelente fase que atravessa, fez ótima defesa. Confirmaria mais uma vez a boa fase, quando após defender cobrança de falta no cantinho, no puro reflexo defendeu o rebote.E se o Botafogo em determinado momento parecia controlar o jogo, com mais posse de bola e volume de jogo, o Vasco saía muito bem para os contra-ataques. Foi num deles que o Vasco quase ampliou, mas o goleio Renan fez milagre e foi com apenas 1 a 0 pros vestiários.


O Vasco que voltou dos vestiários, era parecido com o que começou a partida. Dorival adiantou a marcação e o Vasco criava boas chances, especialmente quando roubava a bola na intermediária e saía rápido pro contra-ataque. Alex teixeira deixou o gramado e deu vez a Pimpão que, em sua primeira participação na partida, deixou Élton livre pra marcar. O artilheiro deixou o goleiro pra trás e completou para o gol vazio. Logo após o gol, Nilton chegou de forma duríssima na dividida com o jogador do botafogo, e merecidamente foi expulso. Era o que faltava para colocar mais fogo no clássico. O botafogo aproveitou-se da superioridade numérica e descontou com Thiaguinho. Jogo totalmente em aberto no Maracnã. Aberto até o momento que Paulo Sérgio recebeu a frente e foi derrubado fora da área. O juiz interpretou o lance como Penâlti. Batido com paradinha e tudo por Léo lima, que fez seu primeiro gol na nova passagem com a camisa do clube. Com o jogo ganho, deu tempo de Carlos Alberto coroar sua atuação de gala e deixar o seu ao concluir com categoria no canto direito de Renan. Carlos Alberto que foi indiscutivemente o nome do jogo. A camisa cruzmaltina lhe caiu muitissímo bem e a cada jogo ele demonstra mais e mais seu futebol.


Vitória contundente, que mostrou e mostra, que somos capazes de vôos mais altos. E o Botafogo, cantado em verso e prosa pela mídia como o time a ser batido, caiu de quatro frente ao Vasco de Dorival. Por mais massivo e corrente que seja tecer elogios a Dorival, não furtarei-me de faze-los.


Fazia tempo que não via o Vasco organizado num clássico. Um time ciente daquilo que cada um tem que fazer, um time que cria jogadas, que se movimenta, que abre espaços, que joga compacto, que marca forte. Um time que os números falam por si. Temos até agora a melhor defesa e o melhor ataque da competição. Fruto da competência e do trabalho de Dorival, que apesar dos resultados, permanece com os pés no chão. É de se imaginar que um técnico que após uma bela vitória como essa, em cima dos favoritos da mídia, esteja pulando de alegria e enaltecendo o grupo. Não que não tenha feito isso, mas a sua serenidade é impressionante. Dorival segue a sua linha de trabalho e segue cobrando do time uma evolução maior.Que parece muito bem encaminhada.


Vitória com V maiúsculo!



O SENTIMENTO NÃO PARA

4 comentários:

  1. Otimo jogo!!

    jogou muito bem o nosso vascao

    assim como o botafogo, que foi pra cima e nao se acanhou!

    nao vi esse ano jogo melhor que esse em nenhum torneio do mundo

    carlos alberto? da logo o morais, o alex teixeira e quem for mais pra ficar com ele!!!

    joga muito!!

    ResponderExcluir
  2. Grande João Vitor,
    Quanto tempo a gente não ve o Vasco jogando um clássico como um time grande. Foi muito bonito!
    O destaque realmente foi o Carlos Alberto mas, o time todo jogou muito bem sabendo que função desempenhar em campo.
    Até o Amaral fez um papel importantíssimo ontem e o fez muito bem que foi anular o Maicosuel.
    O time todo esta de parabéns, agora podemos dizer que temos um elenco. Só espero que com esta vitória a soberba não tome conta de São Januário e ainda precisamos e ter pé no chão.
    Saudações Cruzmaltinas.
    O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Almirante, apenas te corrigindo em um comentário seu em meu blog:

    No estadual de 2008 o Bota bateu o Vasco, 3 a 2. Foi numa semana de carnaval.

    Lembrando os gols: Para o Botafogo marcaram Zé Carlos, Túlio e Lúcio Flavio. Para o Vasco: Bruno Meneghel e Jorge Luiz.

    Obs: Parabéns pela vitória, foi merecido.

    www.futebolcariocaoficial.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. meus sinceros parabéns ao Vasco pela merecida vitória...o Carlos Alberto acabou com o jogo...

    se mantiver este ritmo, coloco o Vasco como um forte canditado ao título....

    Vc conhece um jogador recém chegado a Colina chamado Paulinho???

    abraço!!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas