domingo, 24 de maio de 2009

As máximas que falam por mim...


Futebol é resultado.

O Vasco não fez uma boa partida hoje. O cansaço, em razão da seqüência de partidas e viagens, pesou um pouco para o time. Mesmo assim, não jogando bem, conseguimos uma excelente vitória, e o que importa é vencer. A vitória do Vasco já me contenta, não exigo futebol-arte. Quando eu quero beber dessa água, trato de ligar a televisão em um jogo do Barcelona, do Liverpool, outrora nos da nossa seleção estrangeira. Do Vasco apenas exigo a vitória, e se ela vier por 1 a 0 todo jogo, me darei por satisfeito. É meio pessimista, confesso, mas antes uma equipe que vença à uma que só dê espetáculo. O ideal é que as vitórias sejam conseqüência do espetáculo, mas nem sempre é assim que funciona. Não é por isso que nós Vascaínos não teremos lances com os quais nos deliciarmos. O que dizer da caneta de Nilton na jogada do Segundo gol? Drible que ilumina o campo, que eternece a torcida. E o que dizer também do craque Carlos Alberto e seu futebol moleque , atrevido?Futebol é resultado, mas há que se achar espaços para arte. E o Vasco, vez por outra, acha os seus.


Quem não faz Leva.


O atlético teve a bola durante todo o primeiro tempo, rondou perigosamente a área do Vasco, teve chances de abrir o placar. Já o Vasco, que se restringiu à tentativas frustradas de Contra-Ataque, não fez nada para conseguir um gol. Acabou por achar um no final do primeiro tempo. Achar não é bem a palavra, pois o tento surgiu de uma jogada incessantemente ensaiada por nosso treinador. Contudo, o gol Vascaíno, que dava tranqüilidade a torcida, não fazia justiça com o placar, já que os adversários haviam sido melhores. Futebol, no entanto, não é questão de justiça e tampouco merecimento, é questão de “bola na rede”, e tivemos a competência para balançar o barbante.

Centro-Avante vive de gols.


Élton e Edgard, de fato, não são atacantes dos sonhos de nenhum torcedor. A bem da verdade, acho os dois muito fracos. O primeiro anda me irritando já tem um bom tempo, o segundo me tirou do sério contra o Ceará. Mas contra fatos não há argumentos. O fato é que Élton é o Artilheiro do time e, bem ou mal, na maioria das vezes mal, deixa sua marca em quase todos os jogos. Hoje foi um exemplo perfeito da maioria de suas atuações. Errou passes bobos, deixou escapar bolas fáceis, perdeu boa parte das dívidas, e deixou seu golzinho, responsável por abrir o caminho da difícil vitória, que o placar ilusoriamente reputa facilidade. Edgard dessa vez não brigou com a bola como fez no Castelão e deixou seu gol, que sacramentou a vitória Cruzmaltina. Na verdade foi 10% de um gol, pois os outros 90% vão pra conta de Nilton e seu drible iluminador.

O que vale são os 3 pontos.


Élton, Edgar e Ramón foram os responsáveis por fazer a torcida imensa bem feliz. Na série B, mais do que nunca, o que vale mesmo são os 3 pontos. É jogo de mais garra que técnica, mais suor que arte, mais dividida que drible. Jogando bem ou mal, vale mesmo é sair com a vitória e garantir mais uma noite tranqüila de sono, com a certeza de estarmos cada dia mais perto do
nosso lugar de direito.



2 comentários:

  1. que show, amigo Almirante!
    CA e Nilton são exemplares raros de talento, Tô louco praver nosso camisa 6 meter um gol no corinthians pra mostrar o que eles perderam.
    Agora é só o Vasco correr pra renovar com ele por muito tempo.

    Abração e quarta o Maraca é nosso!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Como te disse no jogo contra o Atlético-GO, gostei muito do seu blog, mas uma vez, parabéns!

    Só uma observação, esse vídeo ao lado direito que fala da FJG não combinou com o seu Blog, principalmente por mostrar fotos com armas, roubo, etc...

    Abraço!

    Luciana Gouveia

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas