quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Um time que só joga em casa!


Começar enaltecendo o show da torcida vascaína, maioria absoluta no Serejão, soa tão redundante quanto dizer que as condições do gramado eram deploráveis e que Carlos Alberto foi caçado deslealmente durante todo o jogo. Vascaínos de norte a sul se dispuseram a provar que o sentimento nunca parou e, jogo após jogo, pintam de cruz de malta as arquibancadas, proporcionando um espetáculo de paixão e devoção ao MAIOR CLUBE DO MUNDO. O presente para os cruzmaltinos veio cedo. Ramón cobrou falta, ninguém conseguiu desviar e a bola acabou entrando. O Vasco jogava bem, e apoiado pela massa que transbordava pela garganta do jacaré, se sentia em casa. Pressionava a saída de bola e não dava chances ao Brasiliense sair para o jogo. Durante toda a primeira etapa, Fernando Prass foi obrigado a fazer somente uma intervenção.

O Brasiliense veio mais determinado para a segunda etapa, e forçava principalmente o jogo aéreo. Mas, vir determinado contra o Vasco, é somente equilibrar as coisas, pois, se às vezes falta técnica, determinação e vontade sobram aos nossos guerreiros cruzmaltinos, que dividem todas as bolas como se quisessem tirar o pai da forca. Em uma dessas divididas, Aloísio levou a pior. O Atacante chegou a ficar desacordado no gramado após chocar cabeça com cabeça com o zagueiro candango, mas graças a Deus nada de mais grave aconteceu . Para o lugar de Chulapa, que saiu de ambulância do gramado, veio Adriano. O jogo aéreo parecia ser a única forma do Brasiliense ameaçar o Vasco, e por intermédio de uma cabeçada desferida pelo atacante Gustavo, o time do campo( porque a casa era nossa) criou sua melhor oportunidade no jogo, mas acabou esbarrando na muralha Fernando Prass. Ainda teve um pênalti a favor do time do campo, tão claro quanto o não marcado sobre Carlos Alberto, na primeira etapa. A não marcação do primeiro, acabou compensando a não marcação do segundo, deixando tudo “elas por elas”. O Vasco ainda puxou alguns bons contra-ataques com Pimpão, que finalmente deu o ar da graça substituindo o Gladiador Carlos Alberto, e Adriano, mas não conseguiu criar de fato chances claras para ampliar.

O Resultado nos mantém na liderança isolada da competição, com 3 pontos acima do segundo colocado e 9 acima do quinto, ou seja, tudo indica que os mares serão cada vez mais tranqüilos para a Caravela Vascaína voltar a série A. Mais importante que isso, é notar que o discurso dos jogadores não é da boca pra fora, e que a festa, de fato, se restringe a torcida. O time continua com a mesma seriedade e comprometimento de não só subir, mera obrigação aliás, e sim, subir provando que é muito maior que essa divisão menor. E eles podem ficar tranqüilos, pois a festa nós garantimos, seja aqui no rio ou em qualquer outro lugar desse país.

3 comentários:

  1. Verdade, xará.

    Nessa série B, nossa grandeza está sendo exposta aos olhos do Brasil. Onde quer que a gente jogue, somos maioria. Nossa torcida está provando que é grande por todo o Brasil. Depois vem essas pesquisas dizer que somos a 5ª torcida...Difícil de acreditar depois do que temos visto. Abração.

    ResponderExcluir
  2. Almirante, to no aguardo do seu e-mail, conforme seu recado la no Blog do Vascão você aceitou participar como colunista mensal, se você ainda quiser participar, manda seu e-mail pra mim que entro em contato com você.
    Parabéns pelo post.
    Abraço
    Jeferson

    ResponderExcluir
  3. Jogo após jogo nossa torcida dá show, em estados que ficaram algum tempo sem receber jogos do Vascão!
    Sexta é show no Maraca e terça que vem em GOiânia. Azar dos adversários, que sofrem jogo após jogo com nossa força nas arquibancadas e no gramado.
    Vascão segue firme rumo a concretização dos objetivos.

    Abraço e sds vascaínas!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas