domingo, 29 de março de 2009

conVENCER!


A vitória veio de novo, só que dessa vez bem acompanhada do bom futebol. Nada de muito especial também, porém um futebol muito superior ao que foi apresentado quarta-feira frente ao modesto Mesquita. A bola da vez era o também modesto Volta Redonda. Só que ao contrário de quarta, o Vasco entrou ligado desde o início. Teve a infelicidade de levar um gol logo no começo, pura sorte do Voltaço. Não se abateu, levantou a cabeça,botou a bola no chão, empatou com Matheus,numa bomba do meio da rua, e virou com Titi. Ampliou com Élton. O voltaço diminuiu, mas logo depois Enrico, e Enrico de novo, decretou a vitória Vascaína. O time da casa ainda faria o terceiro quase no fim. Um gol que provém do total desinteresse da equipe do Vasco com o jogo naquele momento, o que aliás, é perfeitamente compreensível.


A boa vitória, no entanto, não pode e nem deve maquiar os problemas defensivos, que hoje aconteceram em 2 dos gols do Volta Redonda. Dois gols que nasceram de cruzamentos, onde a zaga apenas olhou. Mas há de se dar um desconto, pois era a primeira vez que essa dupla de zaga, Titi e Leonardo, atuava junto e erros de posicionamento são aceitáveis. Leonardo até que não fez má partida, mas o sistema defensivo de um modo geral, ficou abaixo e sentiu a falta de Fernando. O Voltaço, até agora, é a equipe que mais consegiu vazar a defesa vascaína.


Os 3 gols sofridos para uma equipe fraca como o Volta Redonda, por sua vez, também não podem maquiar a boa atuação Vascaína de um Modo geral. A equipe criou bem, concluiu com precisão e dominou inteiramente o jogo. Terminou recebendo elogios de seu comandante e aplausos da massa que compareceu ao Raulino de Oliveira. Meus destaques são de Ramón, que mostrou com muita disposição porque já caiu nas graças da torcida; Paulo Sérgio, que mantém regularidade incrível e é importantíssimo para equipe tanto ofensivamente quanto defensivamente; Jéferson, que participu bem do jogo e criou boas jogadas; Enrico, que no seu primeiro jogo como tiular deixou duas vezes a sua marca, apesar de ter ficado desaparecido na maior parte do tempo.


Classificação garantida, melhor campanha, melhor defesa. Motivos que já são suficientes para acreditarmos que podemos ser campeão. E não tenha dúvida, é atrás disso que estamos indo.





O SENTIMENTO NUNCA PAROU!!!!

sábado, 28 de março de 2009

Classificado!


"Ramónstro" de volta!
Verdada seja dita, já estamos classificados. Amanhã trata-se apenas de confirmar matematicamente o que todos já sabem. Espera-se no entanto, que a equipe volte a apresentar um bom futebol, já que na quarta feira jogamos sofrivelmente diante do último colocado da competição. Os desfalques pesaram, certamente. Devem pesar amanhã, talvez um pouco menos. Dessa vez Nílton e Fernando desfalcam o time. Para a vaga do volante, virá Matheus, que pode suprir na medida do possível a falta de seu titular. Leonardo tomará o lugar de Fernando no lado direito da zaga, fazendo dupla com Titi, que retorna de suspensão. Deposita-se muita confiança no zagueiro Leonardo, que chegou com status de titular mas em virtude das boas atuações da zaga, não teve ainda nenhuma oportunidade. Terá agora, veremos se vai agarrá-la. Carlos Alberto segue desfalcando o time, e para seu lugar amanhã Enrico foi o escolhido. Na verdade a Função desempenhada por Carlos Alberto será feita amanhã pelo Jéferson, com Enrico fechando o meio pelo lado esquerdo. Esta de fato é a posição de Jéferson, e aliás, é a que ele mais rende. Quem retorna ao time, além de Titi, é o lateral Ramón. Só pelo fato dele voltar ao time, já tenho certeza que o Vasco jogará melhor. A válvula de escape que tanto faltou ao Vasco contra o Mesquita, esta de volta.


Surpresas, apenas no banco. O volante Pedro Vera foi relacionado pela primeira vez para uma partida. Dependendo do trancorrer do jogo, pode ser utilizado, já que o paraguaio pode ser um dos nomes da barca que partirá de São Januário antes da disputa da série B. A intensão é testar os jogadores do elenco e o quanto antes dispensar os que não serão aproveitados. Um dos mais cotados a deixar a equipe, e seguir os rumos de Fenando Galhardo, é Fernandinho, que toda vez que entrou foi tenebroso. Dorival deixou claro que deseja trabalhar com um elenco de no máximo 34 jogadores, e espera contratar quatro nomes para o elenco da série B. Aloísio Chulapa é uma das prováveis aquisições, e já demonstrou manifesto interesse em relação a possibilidade.


E voltando ao jogo, só do Léo Lima não jogar, o time vai melhorar...

quinta-feira, 26 de março de 2009

O resultado caiu do céu!


Esperava mais desse jogo, confesso. Mas tá bom né? fazer o que? O que importa no fim das contas é o resultado, que a bem da verdade, caiu do céu. Pouco fizemos para consegui-lo, mas conseguimos, o que já um bom sinal. Mal sinal é que a equipe se mostrou muito ressentida pela falta que fizeram Carlos Alberto, Ramón e Titi. O último nem tanto, porque foi substituído na medida do possível por Gian. O que não se aplica ao jovem Edu Pina, que se apresentou muitíssimo abaixo do seu titular," Ramónstro".Parece que a agressão sofrida no clássico ainda atordoa seu juízo. Foi culpado pelo gol sofrido e errou tudo que tentou.




Permita-me um paragráfo em relação a Leo Lima, que mais uma vez não jogou bem. Muito pelo contrário, é irritante ve-lo jogar. Parece que se encontra em uma outra dimensão, sua dimensão especial, na qual ele deve agir como se estivesse em camera lenta e da maneira mais displicente que conseguir. Claramente não se encontra na mesma vibração que o resto do grupo e creio que o fato dele ser reserva esta o incomodando. Suas apresentações não estão justificando titularidade. Vai tirar QUEM? o CARLOS??o JÉFERSON????o NÍLTON???????
Com esse futebolzinho de meia tijela num vai ser possível. Hoje ele até fez gol, de penalti. Mas foi substituído por Enrico, que pouco acrescentou ao time na minha visão.




Por Falar em Nílton, mais uma vez mostrou seu futebol que tanto me agrada. Um jogador de muita inteligência e muita força. Peça mais que fundamental no esquema de Dorival e fará muita falta no jogo de sábado, já que levou o terceiro cartão amarelo e estará suspenso. Hoje, apesar do time não ter jogado bem, Nílton foi um dos destaques. Fez boas jogadas e teve atuação segura como sempre. Melhor que ele, apenas Jéferson, que apesar de não ter feito uma excelente partida, foi novamente decisivo, novamente esbanjando categoria. Dessa vez ele pegou de chapa da entrada da área, apenas colocando a bola. Aos poucos o jogador vai se firmando e mostrando potencial, fazendo também uma função importante defensivamente.


Já o ataque, não funcionou no muito bem. No primeiro tempo Elton foi apenas expectador. Com as mudanças de Dorival, que sacou leo Lima e Edu pina, dando vez respectivamente a Enrico e Fagner, a equipe melhorou e tanto Élton e Pimpão, passaram a participar mais do jogo. A equipe melhorou não pelas atuações dos que entraram e sim pela subida de prudução do Jéferson, que passou a jogar mais adiantado e ajudar mais na criação. Élton até que tentou, mas hoje não era seu dia. Até penalti perdeu no finalzinho. Já Pimpão teve grandes chances, mas sua incompetência para concluir mais uma vez ficou evidente. Não repitimos as recentes boas atuações, mas mostramos determinação e conseguimos a vitória que nos mantém na liderança do grupo. Se Dorival já ficou um pouco insatisfeito nas vitórias dos clássicos, ontem deve ter ficado uma arara. Sábado tem mais, e esperamos que as boas atuações voltem a aparecer.




quarta-feira, 25 de março de 2009

A reconstrução começou!


Hoje, em São januário, o Vasco encara o mesquita para retomar a primeira posição do grupo. Um resultado que não seja uma contundente vitória, será uma total surpresa. Apesar de não podermos contar com três dos nossos titulares em virtude das expulsões no clássico, tenho certeza de que os que lá estarão para substituir, darão conta do recado. Assim também pensa Dorival, que fez questão de elogiar os jogadores que ganharão a oposrtunidade. Léo Lima, que terá a missão de fazer as vezes de Carlos Alberto, é um dos mais animados com a oportunidade. O meia espera fazer uma atuação convicente e mostrar ao professor que tem condições de ser titular.


Vasco e Mesquita no entanto, ganhou cárater secundário. Tudo porque a novela " Caminho da certidões" finalmente chegou ao seu derradeiro capítulo. A novela que passou por indas e vindas, e que em dado momento temi pelo desfecho infeliz, felizmente acabou da forma como queríamos. O Juiz Alfredo Franca Neto, concedeu a liminar que possibilitou a obetenção das benditas certidões e agora estamos livres para assinar com a Eletrobrás. Parece até mentira, mas não é. E se dentro de campo as coisas já vão de vento em polpa, agora temos tudo para melhorar ainda mais. O dinheiro que a Estatal investirá no Vasco, era tido como fundamental para o planejamento do ano e para honrar os compromissos estabelecidos com jogadores, comissão técnica e demais funcionários. A corda que esteve durante toda a breve administração dinamite apertada no pescoço, agora deu uma afrouxada e finalmente poderemos respirar aliviados.



A RECONSTRUÇÃO COMEÇOU!!!!

terça-feira, 24 de março de 2009

Fernando: Um "bico" no passado!


"E o primeiro "pacotão" de jogadores da era Dinamite é finalmente apresentado.Como promessa de campanha , Dinamite grantiu a contratação de reforços de peso e renome, analisemos então o pacote. {...} Por fim, o zagueiro Fernando, que vem como principal elemento desse pacote, para quem sabe melhorar as pífias, patéticas e assombrosas atuações da zaga, coisa da qual eu duvido muito.Fernando tem tudo pra ser mais um perseguido da torcida vascaína. Não bastasse ele ter atuado grande parte de sua carreira vestindo a camisa proibida de um certo clube da zona sul, nem por lá ele agradava e porque cá ele agradaria? é o que me pergunto desde o surgimento dos primeiros boatos sobre sua contratação, e creio, ou melhor, tenho a certeza de que não sou o único a pensar dessa forma e a olhar com séria desconfiança para esse tipo de contratação."



Era dessa forma desconfiada, e não é por menos, que eu, e acredito que grande parte dos Vascaínos, recebia o zagueiro Fernando. Suas referência eram as piores possíveis, pois além de notadamente não ser um zagueiro refinado, tinha um passado condenante. Na gávea o jogador alternou bons e maus momentos, vivendo sempre no limite com a torcida. Chegou a ser chamado pelo presidente Rubro-negro de "Princípe da Zaga". Saiu da gávea no Fim de 2006 e por duas temporadas defendeu o Duisburg da alemanha, que aliás, já havia defendido em outra oportunidade. Cansado da Europa, resolveu cair de para-quedas no Vasco, para quem sabe, melhorar as assombrosas apresentações da zaga cruzmaltina, coisa que, repito, duvidava muito.


Assim mesmo que deve ser conjugado o verbo, no passado. Duvidava, mas não duvidei mais á partir do momento que ele começou a atuar e mostrar que dentre todos aqueles patéticos zagueiros que tínhamos, ele estava um pouco acima. A partida em que isso ficou mais evidente foi contra o Goiás, onde o zagueiro foi decisivo para vitória. Teve seu trabalho reconhecido, tanto é que do erro total que foi aquele time, foi um dos únicos remanescentes, a pedido do próprio Dorival. Hoje, Fernando, segundo o próprio, vive o grande momento da carreira e é um dos responsáveis diretos pelo Vasco ter a melhor defesa do estadual ao lado de seu companheiro Titi e do goleiro Tiago. O tempo parece ter lhe feito bem. Hoje é um zagueiro muito mais seguro do que era, a truculência que marcava suas atuações foi substitúida pela consciência. O tempo também lhe trouxe, além da maturidade, a liderança, sempre exaltada peleos companheiros e comissão técnica. A desconfiança deu lugar a tranquilidade, e a identificação do jogador, assim como todo o resto do time com a torcida é impressionante. Quase nem me lembro que um dia ele esteve no império do mal. E ele parece ter dado um bico no passado de vez, sendo um dos melhores em campo no clássico e de quebra entortando 2 adversários e ligando o contra-ataque do segundo gol.


Quem diria hein? Fernandão é Vascaíno!

segunda-feira, 23 de março de 2009

O estilo Dorival!


Existem vários tipos de técnicos no futebol: os professores pardal, os velhacos defasados, Ex-grandes jogadores-que acreditam que isso já é suficiente para ser bom técnico- As vezes ocorre de isso tudo se misturar na figura de um técnico só. Têm , por fim, os que estudam.. Os que procuram aprofundar-se na ciência do Futebol. Que sabem tudo sobre táticas, sistemas, rotinas de treinamento e de quebra, sabem a língua dos boleiros e entendem as dificuldades pela qual passa um jogador de futebol.

Este último tipo é a descrição perfeita de Dorival Jr, que não sentou na condição de ex-jogador e procurou estudar e aprimorar-se como o homem na beira do gramado. Conseguiu brilhantemente, diga-se. E se o Vasco, que entrou desacreditado e abalado para a disputa do carioca, hoje ocupa posição de destaque, a grande parte dos louros é merecidamente de Dorival. O técnico assumiu o Vasco sabendo das inúmeras dificuldades que encontraria. Primeiro esbarraria na falta de Dinheiro para montar o elenco. Problema aparentemente resolvido, pois ao invés de apostar em velhos ídolos, marcas e conhecidos da torcida, resolveu renovar. Apostou em jovens valores, desconhecidos do grande público, mas jogadores de sua confiança e que hoje vão se tornando ídolos da galera Vascaína. Ramón, Nilton, Élton, Jéferson, Titi. Todos desconhecidos, todos bons jogadores.


Golear o Botafogo? Para ele “é só mais um jogo, que estava em aberto, mas que tivemos competência de matar quando tivemos a oportunidade”. Vencer o primeiro clássico dos milhões na carreira? Para ele “a equipe deu muitos espaços, não se portou bem taticamente, e poderia ter perdido caso a sorte sorrisse para o outro lado”. Nada abala a humildade e a tranqüilidade do nosso verdadeiro professor, que ganhando ou perdendo, segue impassível e trabalhando em busca da evolução e do Vasco ideal, que segundo o mesmo continua distante. Quanto mais os jogadores absorverem da filosofia de Dorival, mais o time irá crescer e mais feliz serão os milhares de Vascaínos. Resumindo: Trata-se de um eterno insatisfeito, pra nossa sorte!



O SENTIMENTO NUNCA PAROU!!!!!!

domingo, 22 de março de 2009

O Time a ser Batido!


Tudo conspirava a favor de um grande jogo. Domingo, 6 horas da tarde, casa cheia . No tapete do maior palco do mundo, Vasco e Flamengo, o clássico que movimenta o Rio de Janeiro e que mexe com o coração de mais de 50 milhões de brasileiros.Pois bem, tudo perfeito. No entanto uma figura resolveu aparecer refletida no brilho do clássico dos clássicos, o senhor Luis antônio Silva santos, juiz da partida. Seu estilo de arbitragem nunca me agradou, pois ele confunde autoridade com autoritarismo e segurar o jogo para ele é uma questão simplista de distribuir cartões à revelia. Só faltou ele me expulsar do botequim também. Não fosse sua catástrófica arbitragem, que prejudicou ambos os lados, a vitória merecida do Vasco seria ainda melhor.



E quando a bola rolou no Maracanã, fiz apenas um único pedido aos céus: Que venca o melhor. Traduzindo: Que vença o Vasco. Claro, evidentemente o time do Vasco era melhor. No papel muitos diziam e dizem que não, mas há controvérsias. Juan para muitos é melhor, mas o lateral esquerdo que se destacou foi o nosso valente Rámon. Léo Moura é tido como um diferenciado, mas Nílton fez pouquíssimo caso disso. Zé roberto tem bola, habilidade na perna esquerda, mas a perna canhota que fez de fato a diferença foi a de Jéferson, que quando o placar ainda marcava 1 a 0, gol de Élton, mais um do centro-avante, matou a partida tocando por cima do goleiro Bruno. Este, aliás, foi um dos poucos que fugiu do critério ou da falta dele, e não foi expulso, mesmo depois de aplicar uma voadora para cima de Nílton. Mas isso é o de menos, o que valeu foi a vitória pra cima da mulambada, que não vinha á dois anos mas chegou em boa hora.



Se Kléber Leite não acreditava em mula sem cabeça e saci perêre, hoje passou a acreditar. A torcina Vascaína foi no mínimo em quantidade equivalente a do urubu, e com um detalhe contundente, muito mais animada e jogando com o time. A mulambada vaiava e nós gritávamos VASCOOOO como há muito não gritávamos. A diferença é que lá eles jogam por dinheiro, e aqui nós jogamos pela camisa, pela honra de carregar a cruz de malta gloriosa.De rebaixados e menosprezados, saímos do Maraca como o time a ser batido, afianal somos o único dos times grandes que não perdeu nenhum clássico. Hoje foi uma vitória que, apesar dos pesares(erros e mais erros do senhor do apito), garantirá mais uma semana de tranquilidade na colina e pintará de cruz de malta as ruas da cidade maravilhosa.





Quem pensou que o sentimento ia parar!!!!!!!????

sábado, 21 de março de 2009

O que menos importa são os 3 pontos!


Técnicamente é um jogo como outro qualquer, que vale 3 pontos como se fosse contra um madureira da vida. Mas não, quando se fala em clássico dos milhões, os 3 pontos são meramente simbólicos, o que está em campo é muito maior que isso. Em campo estarão quase um século de rivalidade ferrenha e a honra de não perder para o maior rival.Se não valesse ponto nenhum, valeria a mesma coisa. Tanto lá como cá, aceitamos derrotas para qualquer adversário, menos para "eles". Perder para o flamengo é a maior tragédia para o Vascaíno e vice versa.


O Clássico dos milhões movimenta o Rio de Janeiro, a apreensão já toma conta das duas torcidas e a promessa é de um maracanã abarrotado para assistir um jogo de nervos, onde qualquer detalhe pode decidir. Nas últimas partidas diante do úrubu estamos em déficit, mas amanhã algo me diz que as coisas serão diferentes. Enquanto o Flamengo enfrenta problemas diversos, o Vasco vai de vento em polpa, querendo mostrar que o time não deve nada aos adversários diretos pela briga do título. Volto a repitir: Se o Vasco entrar com a postura das últimas partidas e em especial a da partida contra o Botafogo, teremos condições plenas de vencer e vencer bem. A urubuzada não chegou nem perto de apresentar um futebol consistente como o apresentado pelo Vasco e por mais que os salários lá na gávea agora estejam em dia, me responda a seguinte pergunta: O Obina ou o Josiel deixarão de ser o Obina e o Josiel porque receberam seus salários? Evidente que não.


Vamos aos Maracanã preparados para vencer. E dessa vez não é da boca para fora. A tônica dos últimos confrontos entre Vasco e Flamengo, foi de um Flamengo que buscava a vitória e um Vasco que se defendia a qualquer custo. Mas o Vasco de hoje tem esquema tático, e por mais que mídia esportiva não enxergue , temos também um bom time e um dos melhores técnicos do país, o que pode ser o nosso diferencial no jogo de amanhã!




O sentimento não para!!!!!

terça-feira, 17 de março de 2009

Para atroplear o urubú!


Só para não passar batido comentarei de forma breve a vitória sobre o Boa Vista. Ainda de ressaca física da partida exuberante contra o Botafogo, o Vasco visitou Bacaxá e derrotou a equipe local pelo suficiente 1 a 0. Fernando fez de cabeça em mais uma assistência perfeita de Paulo Sérgio. O time de Dorival não repitiu a boa atuação do clássico, muito em virtude do cansaço e das condições do gramado que, de tão estreito, lembra o soçaite que eu bato bola com a rapaziada. Havia também um adversário, que não se acanhou e marcou muito forte a equipe do Vasco. Sorte que esse ano temos um treinador, que como sugere a própria palavra, treina a equipe, treina jogadas de bola parada e, mais uma vez, tivemos sucesso com ela.


Agora temos toda a semana para trabalhar pensando no Domingo, onde faremos o "Clássico dos milhões" no maracanã diante da flamengada. Decerto uma das maiores rivalidades do Futebol Mundial, quissá a maior. E chegamos ao tão esperado jogo, que pode ser o único entre as duas equipes na temporada, voando baixo e cheio de confiança para manter os 100% de aproveitamento. Enquanto isso lá na gávea a coisa não anda boa e a torcida pega no pé. Fala-se que em caso de derrota para o Vasco, a cabeça de Cuca pode rolar. Com a cabeça tranquila e a salvo esta Dorival Jr, que poderá contar com todas as peças consideradas por ele titular para armar a equipe para o clássico. Por mais que não crave com absoluta certeza que venceremos e rechace a condição de favorito, tenho confiança de que poderemos fazer uma boa partida e sair do mário filho com mais 3 pontos. Tenho confiança de que podemos fazer um jogo franco, aberto, com personalidade. Dorival jr devolveu esse Vasco para torcida. Chega do Vasco que entrava amedrontado nos clássicos, pensando apenas em se defender.Se mantivermos a postura das últimas partidas, temos totais condições de atropelar o dessarumado "framengo".


E para liderar esse novo Vasco, depositamos as fichas no nosso camisa 19, que cada vez mais conquista a confiança da torcida e o respeito da nação cruzmaltina. "Qual Carlos Alberto vai chegar no Vasco?" era a pergunta que me fazia quando anunciaram sua contratação. Seria o Carlos Alberto do começo, que esbanjava talento, ou seria o outro, que colecionava problemas por onde passava? Até agora, por mais cartões- alguns injustos- que tenha levado, é o Carlos Alberto bom de bola. A cruz de malta lhe caiu muito bem e o novo papai tem sido fundamental para essa jovem e batalhadora equipe, que nos devolveu a confiança e a esperança de um ano de alegrias.



O SENTIMENTO NÃO PARA!!!!!

sexta-feira, 13 de março de 2009

4 a 1 fora o show!


Iniciarei de forma pouco usual essa postagem. Começo elogiando primeiramente a declaração dada pelo técnico Ney Franco, que ao invés de usar subterfúgios e se prender à um ou outro lance polêmico, reconheceu a superioridade cruzmaltina e considerou, como não podia ser diferente, a vitória vascaína merecida e justa, como de fato foi.


Quando as duas mehores equipes de uma competição se enfrentam, em tese, promete-se um grande jogo. A tese foi confirmada pelas duas equipes, que a despeito das muitas faltas e do festival de cartões distribuídos pelo árbitro, protagonizaram um espetáculo digno de um clássico dessa grandeza. Um jogo muito aberto, muito disputado, como indicam os 13 cartões distribuídos, e sobretudo, um jogo repleto de chances de gol.


Adotando postura que há muito não víamos no Vasco em um clássico, conseguimos ótima vitória sobre nosso eterno freguês. Alucinante, vibrante, foi assim que começou o clássico, especialmente o Vasco. Após bela jogada de Jéferson rabiscando a defesa alvinegra, Carlos alberto recebeu e esperou o momento certo para deixar Élton de frente pro crime; o atacante com o faro de gol que lhe é peculiar, abriu o placar batendo cruzado. Mesmo com o gol, o Vasco seguiu em cima e teve boas chances de ampliar. Boa chance também desperdiçou o botafogo. Jean carioca recebeu na corrida e saiu na cara do goleiro Tiago que, confirmando a excelente fase que atravessa, fez ótima defesa. Confirmaria mais uma vez a boa fase, quando após defender cobrança de falta no cantinho, no puro reflexo defendeu o rebote.E se o Botafogo em determinado momento parecia controlar o jogo, com mais posse de bola e volume de jogo, o Vasco saía muito bem para os contra-ataques. Foi num deles que o Vasco quase ampliou, mas o goleio Renan fez milagre e foi com apenas 1 a 0 pros vestiários.


O Vasco que voltou dos vestiários, era parecido com o que começou a partida. Dorival adiantou a marcação e o Vasco criava boas chances, especialmente quando roubava a bola na intermediária e saía rápido pro contra-ataque. Alex teixeira deixou o gramado e deu vez a Pimpão que, em sua primeira participação na partida, deixou Élton livre pra marcar. O artilheiro deixou o goleiro pra trás e completou para o gol vazio. Logo após o gol, Nilton chegou de forma duríssima na dividida com o jogador do botafogo, e merecidamente foi expulso. Era o que faltava para colocar mais fogo no clássico. O botafogo aproveitou-se da superioridade numérica e descontou com Thiaguinho. Jogo totalmente em aberto no Maracnã. Aberto até o momento que Paulo Sérgio recebeu a frente e foi derrubado fora da área. O juiz interpretou o lance como Penâlti. Batido com paradinha e tudo por Léo lima, que fez seu primeiro gol na nova passagem com a camisa do clube. Com o jogo ganho, deu tempo de Carlos Alberto coroar sua atuação de gala e deixar o seu ao concluir com categoria no canto direito de Renan. Carlos Alberto que foi indiscutivemente o nome do jogo. A camisa cruzmaltina lhe caiu muitissímo bem e a cada jogo ele demonstra mais e mais seu futebol.


Vitória contundente, que mostrou e mostra, que somos capazes de vôos mais altos. E o Botafogo, cantado em verso e prosa pela mídia como o time a ser batido, caiu de quatro frente ao Vasco de Dorival. Por mais massivo e corrente que seja tecer elogios a Dorival, não furtarei-me de faze-los.


Fazia tempo que não via o Vasco organizado num clássico. Um time ciente daquilo que cada um tem que fazer, um time que cria jogadas, que se movimenta, que abre espaços, que joga compacto, que marca forte. Um time que os números falam por si. Temos até agora a melhor defesa e o melhor ataque da competição. Fruto da competência e do trabalho de Dorival, que apesar dos resultados, permanece com os pés no chão. É de se imaginar que um técnico que após uma bela vitória como essa, em cima dos favoritos da mídia, esteja pulando de alegria e enaltecendo o grupo. Não que não tenha feito isso, mas a sua serenidade é impressionante. Dorival segue a sua linha de trabalho e segue cobrando do time uma evolução maior.Que parece muito bem encaminhada.


Vitória com V maiúsculo!



O SENTIMENTO NÃO PARA

quarta-feira, 11 de março de 2009

Desrespeito com o Clássico!


Estão mesmo querendo acabar com o futebol. Primeiro, inventa-se a lei que proíbe a venda de cerveja dentro dos estádios. Essa tudo bem, passa. Só que daí, resolvem inventar a lei que proíbe a venda de cerveja nas cercanias do estádio.Essa uma tremenda bobagem, e diria até que injustificável. Mas agora deram o golpe fatal no torcedor de bem, comum, trabalhador, chefe de família.Além de terem tirado dele a sagrada e suada cervejinha, resolveram impedir que ele vá ao estádio de uma vez. Portanto, o jogo entre as duas melhores equipes do campeonato - Vasco x Botafogo- clássico carioca de muita história e tradição, tende a ter um público muito aquém do devido e merecido, tudo por conta do exdruxúlo horário das 19:30 numa quinta feira.


Mas emfim, quem conseguir chegar ao maracanã em tão auspicioso horário, tem tudo para ver um bom jogo. Jogo equilibrado, que promete ser muito disputado.As duas equipes ainda buscam pelo melhor futebol,e possuem técnicos competentes que trabalham forte. Veja por exemplo Dorival, que aposentou o rachão emSão Januário e instaurou o reinado do treino tático. Uma pena que a torcida tenha sido praticamente impedida de comparecer em peso. Apesar do título do botafogo e tudo mais, muito merecido e tudo mais, sinceramente não enxergo favoristismo no nosso eterno freguês de general severiano. Digo freguês, não em tom provocativo, joralisticamente falando, afinal nos confrontos diante do botafogo, o Vasco leva assombrosa vantagem em relação ao rival. São 132 vitórias cruzmaltinas, contra 79 apenas do Botafogo. Mas passado não entra em campo.


Quem entra é o Carlos Alberto, o Nilton, o Paulo Sérgio, o Ramón, o Tiago, o Élton, o Alex Teixeira, o Fernando, o Titi, o Amaral, o Jéferson..... E são eles que terão a missão de confirmar no presente, o que a história generosamente nos da de vantagem no longo prazo.



O SENTIMENTO NÃO PARA!!!

segunda-feira, 9 de março de 2009

O importante é a consciência


Mais importante que a vitória de ontem, foi todos terem tido consciência de que não fizemos uma boa partida.Por vários motivos. O calor que batia quatro horas da tarde na Colina era massacrante, desumano. Continuar marcando jogo as 4 horas no verão do Rio de Janeiro é uma atrocidade. Aproveitando a emenda, gostaria de lavrar outro protesto, endereçado aos senhores que montam a tabela do campeonato. O que será que passa na cabeça do cidadão que diante do seguinte dilema operacional " Vasco x Botafogo-clássico carioca", resolve por bem marcar para uma quinta-feira, e como se isso já não bastasse, escolhe o excelente horário das 19:30 como ideal. Eu desisto, isso é uma palhaçada.


Nao jogamos bem, mas foi o suficiente para bater o Friburguense. O Vasco entrou pressionando, adiantando a marcação, roubando a bola na intermediária e armando contra-ataques. Nesse momento ia bem. Carlos Alberto buscava jogo e encontrava muito espaço nas costas dos volantes do friburguense. Não tardou a sair o gol. Fagnér, que fez partida discreta, tocou bela bola para Carlos Alberto definir com categoria.A partir daí o Vasco diminuiu o ritmo, recuou a marcação e cedeu espaços para o friburguense que, contudo, era inoperante no ataque.O Segundo tempo começou, e o Vasco melhorou um pouco, novamente adiantando a marcação. E fazia algo que para torcida pode paracer irritante, mas para o time é fundamental; ter paciência. Girava a bola de um lado pro outro até encontrar uma brecha. Carlos Alberto fez questão de abrir logo uma por conta própria. Fez excelente jogada pela direita, cruzou, elton dividiu com o goleiro e empurrou pra dentro. Pimpão, que entrou na vaga de Alex Teixeira, recebu na meia lua, limpou o zagueiro e acertou uma bomba para fechar a conta em São januário.


Um jogo em que Vasco, quando resolveu pressionar e jogar futebol, foi muito bem. Em virtude do calor, e da falta de ritmo, isso não foi possível a todo tempo. O time perdeu muito com a saída de Carlos Alberto, poupado para o clássico.Sentiu muito a falta de Nilton e Paulo sérgio, especialmente do primeiro. Matheus é utíl, e apesar de alimentar espereanças e briga por posições, pode tirar o cavalinho da chuva quanto a querer ficar com a vaga do Niltão!


Quinta Feira teremos que mostrar muito mais!

sábado, 7 de março de 2009

Rola bola!


E a bola finalmente vai voltar a rolar para nós. Impedidos de disputar as finais da taça guanabara por medidas mesquinhas extra-campo, voltaremos com tudo em busca da conquista da Taça Rio. A estréia se dá frente ao modesto time do Friburguense, no mejestosos palco da colina sagrada. Foram 16 dias sem disputar uma partida, período que supera até mesmo a pré temporada do clube. E se pudéssemos nomear essa quinzena, o nome seria "trabalho duro". Trabalho duro sem reclamação. Dorival aproveitou o período para recondicionar o elenco e promover alguns testes na equipe, que contudo, guardará a escalação que já vai gravando-se na memória dos Vascaínos, a não ser pela escalação de Matheus no lugar de Nílton suspenso, e Fágner, que ganhará oportunidade no lugar do Paulo Sérgio afim de não gerar imbróglios futuros e desnecessários, pois ainda que a federação, por meio de ofício, tenha garantido a condiçaõ de jogo ao atleta, o departamento júridico, escaldo que está, decidiu pelo veto ao nosso vigoroso lateral. Mudança de ordem técnica apenas uma, a entrada de Élton no lugar de Rodrigo pimpão.

A expectativa com relação ao returno é das melhores possíveis. Após um início sob forte desconfiança, mostramos nosso valor e poderíamos ter conquistado a Guanabara, não fosse a nossa própria ingenuidade. Esperamos todos que o tempo de preparação tenha servido para melhorar o entrosamento da equipe, para seguirmos evoluindo dentro da competição e como um time de fato. Ajuda e muito, não só no astral que nunca deixou de ser elevado, o fato dos salários de Janeiro já terem sido quitados. Um problema a menos, pelo menos por ora.

E para começar com o Pé direito, nada melhor que uma equipe como a do Friburguense pela frente. Vasco e Friburguense já se enfrentaram 23 vezes na história, e como não podia ser diferente, levamos uma enorme vantagem, com 18 vitórias e apenas 2 derrotas. Motivo que já é suficiente para nos levar a crer que uma boa vitória será alcançada. Outro excelente, é o retrospecto da equipe serrana, que no primeiro turno terminou em último no seu grupo, com 5 pontos conquistados e apenas uma vitória.

VAMO QUE VAMO VASCÃO QUE A TAÇA RIO É NOSSA!!!!!!

terça-feira, 3 de março de 2009

A sombra...


A torcida Vascaína ano passado deu exemplo sobre o que é ser uma torcida. Sabíamos todos que o time era muito fraco, que o rebaixamento era iminente e, mesmo assim, lotamos o caldeirão de São januário para cantar o nosso amor várias vezes. E as decepções, não raras, inflamavam cada vez mais a torcida a ir no próximo jogo. Mas infelizmente o sentimento vascaíno não foi o suficiente para impedir a dolorosa queda. Com o descenso quem sofre mesmo é a torcida, que verdadeiramente ama o clube e só o clube, acima de qualquer política ou qualquer coisa. Os jogadores bem ou mal, aqueles que "se salvavam" por assim dizer, certamente não sofreram nada, excluindo Edmundo. Mas o que não se esperava( ou será que se esperava?) era que a pecha, a sombra do rebaixamento, acompanhassem nossos destaques/mercenários.


Veja por exemplo o caso clássico do futebol carioca: O jogador surge do nada, aparece bem no Vasco, vende a alma para o plano de saúde, e logo em seguida morre. Leandro Amaral escolheu trilhar esse sinistro caminho e agora colhe os frutos envenenados. Wagner Diniz é outro, que muito antes do barco afundar já pulava fora, se bandeou para a bambizada. Pior dos negócios que fez na vida, em termos profissionais, lógico que não financeiros. Lá se descobrirá para o azar de Wagner Diniz e do São Paulo, que ele é isso daí mesmo, corre mas é mais burro que um tatu. E pro quesito "piores escolhas profissionais", o Oscar vai para o goleiro Rafael. Que, não satisfeito em ser reserva do fraquíssimo Fernando henrique, ainda banca para o Ricardo Berna. Edmundo, que não importa o que faça ou fale de agora em diante, terá sempre lugar cativo no meu coração, por ora encerrou a carreira. Que merece nossos elogios sinceros. Já Madson parace ter driblado a sombra, talvez até pelo seu tamanico, e consegue algum destaque no fraco time do Santos.


Esses aí de cima eram os destaques do time, que dirá então da fase que atravessam os que não eram destaques. Leandro Bomfim, que já encontrava-se em fase terminal, decidiu pelo suícidio. Agora é vizinho de lápide de Leandro Amaral, de Alex Dias, de Rafael, de Conca...

Os irmãos exepcionais Luis & Luis, sumiram no mundo. O brancão abobalhado, se não me falha, joga agora no madureira. Jonílson foi para Ribeirão preto jogar no Botafogo e não deixou saudades.


Temos um time muito superior ao do ano passado, não há dúvidas. Que esses mercenários levem consigo a sombra do rebaixamento, para que o sol das vitórias possa novamente brilhar na colina, para o nosso deleite...

domingo, 1 de março de 2009

Observatório Vascaíno

Com esse longo período sem jogos, pouca coisa acontece e pouca coisa há pra ser dita. Mas como o objetivo desse humilde blog e permanecer sempre atualizado, resolvi fazer um catado de notícias e tecer pequenos comentários a respeito.

Jogo-Treino

O placar elástico é animador, embora o adversário seja apenas um sparring, 9 a 1 é sempre 9 a 1 né. Valeu pela disposição do elenco, que trabalhou forte durante a semana e mostra evolução a cada dia. Valeu também pelas atuações do novo titular Élton,que fez 3, e Leo lima, que marcou um gol do meio de campo por cobertura. Estamos no caminho certo e nenhum tribunal vai nos tirar essa Taça Rio!

Greve dos jogadores


Essa semana surgiu um boato de que jogadores do Vasco estariam a ponto de entrar em greve devido ao atraso nos salários. No entanto, a informação foi prontamente rechaçada por jogdores e comissão técnica, que trataram do assunto como algo absurdo. Dorival foi mais além e disse que nenhum profissional correto tomaria uma atitude dessas. Fez questão também de exaltar o trabalho e a honestidade dos profissionais que comandam o futebol do clube e disse não temer pelo descumprimento dos compromissos estabelecidos. Cabe a diretoria não deixar que os boatos venham a se tornar reais. Todos sabem: jogador -(menos) salário= pipoqueiro.

$$$$$$$$$$$$


A pergunta de 14 milhões de reais é: Quando que o Vasco dará uma resposta definitiva sobre as tais certidões e fechará o contrato com a Eletrobrás????? Eu mesmo já tive impressões variadas a respeito do assunto. Já fiquei confiante, beirando a certeza absoluta de que o acordo seria firmado. Mas agora tenho tudo, menos certeza de que esse acordo será fechado. Cada dia um fato novo surge, cada dia a dívida é maior do que se pensava, e cada dia que passa, o Vasco deixa de receber dinheiro,e os funcionários de receber salários, e os oportunistas plantando notícias de greves, num grande efeito bola de neve. Se esse acordo não firmar, terá sido mais um micasso da nova diretoria.


Vossa majestade Antônio Augusto Ribeiro Reis Junior "Juninho Pernambucano"


Essa semana o reizinho disse que existe possibilidades dele novamente atuar pelo Vasco, apesar de eu achar pouco provável, visto que a tendência é que ele se aposente por lá onde também é rei, e se torne cordenador de futebol no clube. Mas o que quero falar aqui é sobre o gol de falta marcado pelo pernambuquinho diante do Barça. Henry cometou que nem com 3 goleiros se chegaria naquela bola. Que o diga Fabiano, goleiro do Cruzeiro em 2000 que, nas semifinais da copa João havelange, levou um gol "Clone" do que levou Valdez essa semana pela "Champions"



************Comentário extraordinário***********


Após a eliminação no tapetão do meu Vasco, prometi não mais assistir partidas da Taça "federação carioca/TJD". Mas esse virús do futebol, que me faz assistir qualquer pelada que esteja passando na televisão me impediu. Primeiro foi a vez do nosso garoto meneguel detonar a mulambada. Depois os penetras do "plano de saúde" mataram a própria torcida com um futebolzinho da pior qualidade, o que só demonstra que lá chegaram por tudo, menos por merecimento.E hoje, Botafogo e Resende fazem a final. E o Botafogo só não vence se não quiser. Sendo assim, terá, apesar de torta e atrasada, sido feito a justiça. Pois o Botafogo, além de estar em evolução e apresentando uma organização superior aos demais, foi o único que se credenciou pelas próprias forças. Os mulambos chegarm no apito, o plano de saúde chegou no martelo e levou consigo o resende. Só o botafogo chegou lá com as próprias pernas e deve ganhar hoje, e vai ganhar hoje.