terça-feira, 30 de março de 2010

Quem quiser pague pra ver



Duvido que o mais otimista dos Vascaínos esperava uma vitória tão emblemática sobre os nossos fregueses “coloridinhos”.

Tudo bem que o resultado é enganoso em certa medida. O jogo foi mais equilibrado do que sugere o placar elástico, mas a vitória fez justiça ao time que se portou melhor em campo na maior parte do tempo.

Gaúcho já deixou explícito o seu interesse de ser mais que um interino, e não haveria melhor maneira de iniciar seu trabalho do que com uma vitória segura diante de um adversário qualificado.

Com pouco tempo a frente da equipe, mas exímio conhecedor do clube, o treinador não inventou. Formou um Losango marcador no meio campo, uma zaga segura e mais ágil com a entrada do bom Martinelli ao lado de Titi, e deixou o ataque a cargo do menino de ouro.

Gaúcho também teve sorte, uma sorte um tanto quanto torpe, já que a lesão de Jéferson( Outra Jéfersson!? Se benze meu cumpade!), proporcionou a entrada prematura do melhor jogador de todo elenco.

Não deve ter sido o exemplo de Gaúcho, mas serviria perfeitamente. O treinador fez uma preleção motivacional, explicando aos jogadores a importância da bela camisa do Vasco, propondo aos mesmos que suassem e vibrassem pela história desse clube surpreendente.Era como se tivesse dito: “ Joguem pela camisa como joga o Carlos Alberto e serão reconhecidos pelos torcedores.”

A vitória contundente veio para aplacar os ânimos da torcida, para trazer de volta a confiança dos jogadores, além de mostrar para todo mundo o que há muito já se sabe: O Vasco pode e será mais do que vinha sendo nos últimos jogos.

O triunfo nos catapultou do poço da melancolia e nos pôs novamente no páreo. As vitórias vêm sempre em boa hora, mas essa, mas do que todas, veio no melhor momento.

Às portas das finais, o Vasco renasceu.

Não se fala mais em eliminação prematura na Copa do Brasil, não se fala mais em segunda divisão, não se fala mais em passar mais um ano sem título.

Fica-se a sensação de que se jogarmos com atitude e postura de Vasco, nada é impossível.

Se a equipe tiver a atitude e entrega de seu capitão, seu líder e seu craque, jogar por sua camisa e sua tradição, estaremos firmes e fortes em qualquer batalha não importa o quão árdua ela seja.

A torcida responderá nas arquibancadas toda vez que enxergar nos olhos dos jogadores comprometimento com a Cruz que desfilou altiva pelas ruas nessa segunda-feira.

Nunca duvide do Maior clube do Mundo.

Quem quiser que pague pra ver!

3 comentários:

  1. Sábias palavras, assino em baixo.

    Abraço
    Jeferson
    Blog do Vascão

    ResponderExcluir
  2. Voltamos a ter o que faltava: SORTE. Nosso time voltando a jogar bem e ainda contando com srote ninguém nos segurará, pode ter certeza!!

    Rumo ao TITULO VASCÃO!!

    FELIZ PÁSCOA AMIGO!!

    ResponderExcluir
  3. Condordo com voce, mas o Vasco fez muito pelo Edmundo, assim como o Edmundo fez muito pelo Vasco, na minha opiniao as coisas estao quites...
    So lamento, Edmundo e Romario que deixaram a colina pra formar na Gavea do Urubus....isso e meio que imperdoavel....!!!!!!!!!
    avante vascao

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas