sexta-feira, 2 de abril de 2010

O Insuperável Edmundo Alves de Sousa Neto



Na imensa falta do mestre Armando Nogueira, coube a mim fazer uma crônica sobre meu maior ídolo.

Abençoado seja o dia 2 de abril de 1971.

Nascia nesse dia, em Niterói, um gênio genioso do Futebol.

Um presente divino, uma encomenda de Deus para a torcida que traz no peito a Cruz de Cristo, a cruz de Seu Filho. Resolveu ele, do alto de sua sapiência e bondade, nos dar também um filho, que fosse nossa imagem e semelhança.

Que fosse-nos em toda nossa essência.

Alguns lhe reputam falta de cabeça por não ter sido quem poderia ser.

Já eu, acho que ele foi tudo e mais um pouco do que espero de um ídolo, um torcedor que se fez jogador.

Apaixonado, carismático, bestial.

Um anjo torto desses que vive na Sombra, após dizer a Drummond, disse a ele também:

“Vá meu Filho, desce a terra e Sê Vasco! Sê grande!

Ele desceu e cumpriu seu destino da melhor maneira.

Houve desavenças, aliás, que relacionamento duradouro nunca teve as suas?

Duradouro não, Eterno!

Provocam-me até hoje com sua foto balançando as partes em direção a seu povo.

Aposto que o gesto impensado provoca mais dor e arrependimento nele do que em nós.

Ahhh... se não fossem as brigas, o que seria de nós sem o acalanto das reconciliações verdadeiras que só amor eterno pode nos dar?

Vascaíno e Animal por natureza.

Fazia gols por instinto, fazia gol por paixão.

Seu prato preferido? Urubu ao vapor.

O único melhor do mundo, enquanto melhor do mundo, a vestir nossa camisa.

Não preciso nem fechar os olhos e nem buscar na memória para lembrar de sua melhor atuação.

Aqueles 4 a 1 em 97 sobre a gente sem dente, esta latente, parece que foi ontem.
Desde aquele dia, ele conseguiu perante a mim sua absolvição eterna.

Perdesse quantos gols feitos ou quantos penâltis quisesse, seus pecados de ante-mão estariam redimidos para todo o sempre.

Pertencente a linhagem dos grandes Artilheiros Vascaínos.

De Paschoal, passando por Ademir e Váva, Roberto e Romário, estará guardado na memória e coração dos que amam o maior Clube do Mundo.

Parabéns ao insuperável Edmundo Alves de Souza Neto.

Ou pra nós, que tivemos o prazer de sua intimidade, Fique com Deus velho ED!

8 comentários:

  1. pois é rapaz, Edmundo..Edmundo né cara..putz, ninguém conseguia definir o cara no ano do tricampeonato. Só meteu goleada naqueles seres rubro-negros lá. Era muito Animal mesmo, um Animal mesmo, desses selvagens, silvestres, acostumado a caçar, predadores verdadeiros! Edmundo tava neeessa onda na década de 90 e que muito bom que a possuia em 97 no Vascão! um verdadeiro camisa 10. Hoje o menino drible que infelismente faleceu em 1994 também faria seu aniversário. Esse, mesmo pela curta passagem pelo clube de ragatas do Vasco, para mim, marece um bom parabéns também. Humilde, simples e genial. Robinho, ronaldinho gaúcho? que nada.. sou mais o Dener. dia 2 de abril, dois grandes craques!!

    ResponderExcluir
  2. "Aqueles 4 a 1 em 97 sobre a gente sem dente, esta latente, parece que foi ontem.
    Desde aquele dia, ele conseguiu perante a mim sua absolvição eterna."

    Nesse dia com apenas três anos tive a certeza de quem seria o meu maior ídolo no futebol independente de qualquer coisa!
    Parabés Edshow e parabéns 'All'mirante pelas belas palavras de sempre!

    ResponderExcluir
  3. Belo texto, com esaa defesa, ele com certeza vai pro Céu, nem que seja pro céu da boca de um leão.

    Edmundo gênio da bola, idulo eterno da Nação Vascaína, mas com a boca fechada e a bola nos pés quanto atuava com o Manto Sagrado Vascaíno.

    Edmundo fora de campo, atuando por outros clubes ou até como comentarista esportivo, não é exemplo pra ninguém e só tem feito besteiras, diferente de outros ídulos da gloriosa história vascaína que são ídulos dentro e fora de campo.

    sou grato a Edmundo pelos momentos maravilhosos que nos proporcionou comandando o Vascão, mas um cara como ele não poderia ter feito o que fez e falado o que falou quando vestiu o trapo mulambo, lamentável. Só por isso não o considero o maior ídulo da história do Vascão.

    Abraço
    Jeferson
    Blog do Vascão

    ResponderExcluir
  4. Edmundo será ídolo para sempre, pode ter certeza. Quem esquece daqueles 4 a 1 de 1997? Sempre será idolo o EDMUNDO. Para mim um dos maiores que vi jogar!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Eu estava naquele 4 a 1, assim como em todos os outros mágicos do craque vascaíno Edmundo.

    ResponderExcluir
  6. Com todos os erros que cometeu fez acabar o carinho que eu tinha por ele...

    Essa foto é a melhor da vida dele!

    Abraço

    ResponderExcluir
  7. vou falar a verdade foi o melhor jogador de todos com as indisciplinas que tinha, hj é o melhor comentarista da band.
    Deus sabe que fez.
    beijos para todos
    AH Edmundo.....

    ResponderExcluir
  8. ``AAAH É EDMUNDOOO´´

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas