quinta-feira, 20 de maio de 2010

O jeito certo de ser



A notícia de que Gaúcho não aplicava treinos táticos não pegou ninguém de surpresa,nós torcedores já havíamos percebido isso há muito tempo. Se Celso Roth de fato observava o Vasco, como declarou em sua chegada, de certo ele também já havia percebido que o time se portava como um bando dentro de campo.

Fico imaginando como devia ser o treino aplicado pelo ex-interino, e a imagem do “Tio” Rogério, meu professor de educação física no primário, não me sai da cabeça. Dividia a molecada em dois ou três times, largava uma bola na quadra, o apito na mão de alguém da “de fora” e ia dar em cima de alguma estagiária. Nós nem nos importávamos, queríamos mesmo era diversão, jogávamos futebol por prazer.

Celso Roth veio para mudar essa mentalidade do Vasco. O prazer de jogar futebol fica em segundo plano. Para o treinador, futebol é trabalho, futebol é compromisso, futebol é coisa séria, e vontade não é mérito, é obrigação.

Há também que se estabelecer um conceito. O rapaz está ali em campo, realizando o sonho de 10 entre 10 moleques da minha aula de educação física, recebe 80 “barão” pra isso, joga num time gigante, com uma torcida apaixonada que lhe saúda com musiquinhas antes da partida, tem ao seu dispor a mulher fruta que mais lhe apeteça , o carro do ano, o apartamento mais luxuoso e etc. Motivos de sobra para ele ser um sujeito feliz e se dedicar ao máximo a profissão que lhe deu tudo isso. É mais que justo!

O Vasco agora tem um treinador de verdade, que pode não ser do seu agrado( A mim muito agrada) mas que com certeza mudará a postura do Vasco e dos jogadores, que já puderam sentir o estilo disciplinador do técnico. Celso Roth entende o que é treinar o Vasco, sabe que tem de extrair o melhor de seus comandados, nem que para isso ele tenha que interromper aos berros o exaustivo treino tático. O estilo conversador e cordeirinho dos ex-técnicos nessa temporada combinam mais com o Barcelona, onde não é necessário ensinar ninguém a fazer a coisa certa e ter disciplina tática.

A técnica e a qualidade serão sempre imprescindíveis para que se jogue um futebol refinado, o futebol- arte que tanto nos agrada, porém, para se jogar um futebol competitivo estes aspectos são secundários. Celso Roth sabe disso, e através da organização e espírito de luta que implementa, invariavelmente, em seus trabalhos, torna suas equipes bastante competitivas.

Tomara que esse pouco tempo tenha sido o suficiente para os jogadores assimilarem a metodologia de seu comandante, com “C “maiúsculo, e o Vasco volte de Florianópolis com pontos, talvez, até mesmo os 3 que estarão em disputa. É bom saber que enquanto você lê esse texto, lá em São Januário tem um técnico se esgoelando e trabalhando duro para extrair o melhor de cada jogador.

3 comentários:

  1. Excelente texto, xará. Excelente. Gosto quando enfatiza que a oportunidade de jogar no VASCO é ambicionada por TODOS os moleques que gostam de futebol. É irritante ver um jogador desperdiçar, ou tratar com indiferença, a chance que é o sonho de 10 em cada 10 crianças, como você diz. É verdade também que o VASCO andava sem treinador. Tenho a expectativa de atravessar esse Brasileiro sem sustos. E esse novo panorama, mais positivo, deve ser creditado, sem dúvidas, à chegada do novo Comandante. Com letra maiúscula, como você frisou. Abraços, xará.

    ResponderExcluir
  2. Espero que esse esforço seu por mostrar as qualidades do Roth, se tornem realidades em um bom trabalho no brasileirão, brigar pra não cair, ou "conquistar" uma vaga na Sul-Americana aos trancos e barrancos é muito pouco para alguém que prometeu um 2010 com alegrias para a Nação Vascaína, se nos contentarmos com pouco e não cobrarmos atitude da Diretoria, seremos o time grande do passado, mas que vive hoje há apequenarce diante de seus adversários, ter uma imensa torcida, não nos levará a lugar algum, se não cobrarmos competência dos dirigentes, que se mostram incompetentes em alguns aspectos, a meu ver trasendo Roth o "diciplinador" sua única qualidade ou uma das poucas. Também cobremos aquela promessa do Dinemite em trazer pelo menos um jogador de peso para reforçar o elenco.

    Meu coração Vascaíno acredita na Libertadores. A realidade me faz crer em um Deus nos acuda a cada rodada, e acho que brigaremos por uma "vaga na Série A" do ano que vem.

    Abraço
    Jeferson

    ResponderExcluir
  3. Boa coluna. Parabéns !!! Concordo com suas palavras.

    Gostaria de trocar lins de visitas ??
    www.vascaoamoreterno.blogspot.com

    Passe por lá, será um prazer recebê-lo.

    Abraços e Saudaçõea Vascaínas !!!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas