terça-feira, 1 de junho de 2010

O Representante ideal



Estamos há 10 dias do início da Copa e gostaria de parabenizar a FIFA pela escolha de Carlos Eugênio Simon como representante da arbitragem brasileira no mundial. Decisão coerente.

Representar é exatamente a palavra que deve ser usada, pois o péssimo árbitro gaúcho é uma síntese da arbitragem nacional. Os países participantes do evento terão a noção exata de como se apita futebol aqui na Ilha de Vera Cruz .

E não se preocupem com erros ou lambanças, pois qualquer lance que escape aos perspicazes olhos de Simon, não fugirão do crivo de Altemir Haussmam, seu auxiliar de visão biônica, capaz de enxergar, inclusive, o que não existe.

Foi por conta de uma dessas visões do auxiliar que o Vasco deixou de somar 3 pontos no clássico de Domingo. Após ser ajudado na partida diante do Internacional, as coisas voltaram ao seu curso normal, natural que fosse assim.

Mas falemos agora um pouco do Vasco, que sob o comando de um dos melhores treinadores do país, já começa a apresentar nítidas evoluções.

Celso Roth, ao que parece, não esqueceu-se da receita que transforma elencos medianos em equipe competitivas. A tendência do Vasco é só evoluir sob seus cuidados e isso me parece bem claro, tão claro quanto ao fato do Ramón ter de correr em dobro para recuperar a posição que, com justiça, Ernani lhe tomou.

A entrada de Jéfersson deu um toque de qualidade ao meio campo. Não que seja um jogador sensacional, mas é o tal meia armador que nos faltava. Alguém que sabe cadenciar o jogo, distribuir as jogadas, organizar a equipe. Torçamos para que as lesões o deixem de uma vez por todas.

O garoto Coutinho deverá mesmo caçar o caminho de Milão ao completar 18 anos. É fato que dentro daquele corpo franzino abriga-se um talento incomum, mas pelo Vasco pudemos ver apenas alguns lampejos e espasmos do mesmo. Chegou a hora dos italianos irritarem-se com a sua finalização precária.

Carlos Alberto é outro que deve nos deixar, sem sequer disputar um jogo na série A com a nossa camisa. Creio que o Vasco deva fazer um grande esforço para continuar com seu melhor e mais importante jogador. Não acredito que nosso capitão seja um “chinelinho” e sim, vítima dos inúmeros brucutus do nosso futebol e das arbitragens que não coíbem a violência.

Falam-se nos bastidores de duas contratações de impacto. Vale frisar que tais promessas já foram feitas diversas vezes e nunca se confirmaram. Torço para que pelo menos um deles seja um atacante incontestável, para fazer companhia ao bravo e limitado Élton.

Quinta-Feira venceremos o Guarani, tenho absoluta certeza disso, e iremos a Vila Belmiro domingo para buscar pontos. Quem sabe não aproveitamos esse momento de instabilidade dos “Meninos da Vila” para aprontarmos uma daquelas?

É super importante terminar bem o período pré-copa, para que haja tranqüilidade para a seqüência do Trabalho, e o Vasco volte mais forte para o restante do campeonato, acreditando que pode ser, quem sabe, mais do que simples figurante de luxo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas