quinta-feira, 15 de julho de 2010

O Meio Campo é o lugar dos Craques!



Existem para mim dois modos de analisar o empate sem gols entre Vasco e Goiás.

Se considerarmos que esse ponto ganho pouco mudou nossa situação na tabela e que a vitória sobre a fraca equipe goiana era algo absolutamente palpável, o resultado será encarado como ruim.

Agora, se levarmos em conta que a equipe que o Vasco levou a campo era igualmente fraca a do Goiás, que Fernando Prass esteve brilhante embaixo da meta e, a bem da verdade, o time fora montado para buscar o empate no Serra Dourada, o resultado não será encarado como bom, mas como aceitável. É melhor um ponto do que ponto nenhum.

Entendo a postura adotada pelo PC Gusmão. Sem opções de qualidade para montar a equipe, apostou nos jovens da base e focou na parte defensiva, tentando, quem sabe, achar um gol num contra-ataque. O meio campo foi escalado com 3 volantes, que no segundo tempo tornaram-se 4, com a saída de Jéferson para a entrada de Allan. O garoto Allan vai longe na carreira. É muito talentoso, inteligente, rápido, mas não é meia armador. Pelo menos, até aqui, não mostrou essa característica.

“O meio campo é o lugar dos craques, que vão levando o time todo pro ataque, o centro avante o mais importante, que emocionante é uma partida de futebol.”
Enquanto Felipe, Carlos Alberto e Zé Roberto não estréiam, o meio campo Vascaíno não será lugar de craques, será lugar de luta e briga pela bola.Para a bola chegar no ataque a estratégia utilizada será o velho chutão pra frente, e o Centro Avante, coitado, o mais isolado, brigará sozinho entre zagueiros.

Ainda que o resultado não tenha sido dos melhores, pudemos perceber algumas evoluções na parte tática e algumas gratas surpresas. Os meninos vindos da base, tão meninos que podem ser chamados de meninos por mim, parecem ser muito bons. Fora o Allan que já conhecia desde o ano passado e sempre gostei; também gostei do Rômulo, joga de cabeça em pé, com bola no chão; o lateral Carlinhos mostrou habilidade, apesar de ter entrado visivelmente nervoso em campo; e, claro, Jonathan. Este último tem tudo para ser um excelente jogador. Rápido, inteligente, habilidoso. Tem apenas de tomar cuidado para não ser acometido pelo mesmo mal que prejudicou Coutinho, “A Firulice e Fomeagem aguda”.

Mais velho e experiente, mesmo assim uma surpresa para mim, Nunes. Pelo que vi dele ontem na partida, será de extrema valia ao elenco Vascaíno. Jogador forte, protege bem a bola, serve bem aos companheiros, inclusive, a melhor chance do Vasco na partida surgiu de um ótimo passe dele. Foge um pouco das características que temos no elenco, certamente será bem utilizado por PC e só tende a crescer de produção quando os demais reforços estrearem.

A combinação de juventude e experiência administrada por um técnico que sabe o que faz tem tudo para dar certo no Vasco. A Carência continua sendo a zaga. Desde que Mauro Galvão se aposentou nos falta um zagueiro. Desde a época que o Vasco deixou de ter um zagueiro não temos taças. Coincidência?

Um comentário:

  1. hehe desde a época que Eurico sentou no trono também nos falta taças, e eu digo Taças, as verdadeiras....mas então..como tu falastes, os meninos da Colina estão sendo apresentados e eu gostei também..o allan ainda não vi jogar direito, o jonathan me mostrou ter bastante habilidade, deu os seus olés..e como ja disse antes..do meio pra frente estamos bem, não há muita preucupação..a pedrinha na chuteira é a zaga, a zaga! uma zaga! não precisa ser fenomenal, não me iludo...mas uma zaga!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas