segunda-feira, 9 de agosto de 2010

É Dedé e mais 10!


O Carlos Alberto já deveria ter aprendido que o peso do Martelo será sempre maior para ele.

Paciência.

Paga-se pela fama, nem sempre de forma justa. O capitão, que parecia ter aprendido a lição, foi novamente expulso de forma ingênua ao reclamar da arbitragem, que invariavelmente adota rigor exagerado em relação ao craque das trancinhas. Todos têm direito de reclamar do juiz, mas ele não. Não foi a primeira vez que ele foi expulso de forma exagerada, e se ele não se tocar de uma vez por todas e aprender a apanha calado, não será a última. Chutar canelas não incomoda tanto o juiz quanto bater palminhas.

A essa altura, o Vasco já vencia o jogo por 1 a 0. Gol de centro-avante marcado por Zé Roberto em boa trama pelo flanco esquerdo entre Max e Rafael Carioca. Foi o primeiro gol dele com a camisa Cruzmaltina, e mostrando a habilidade e empenho que demonstrou em suas duas primeiras partidas, não irá demorar a cair nas graças da galera, que deu um show de fazer inveja a todos os Vascaínos, como eu, que não puderam estar no melhor lugar do mundo para se assistir futebol.

Se a torcida estava lá disposta a ser o décimo segundo jogador da equipe desde o começo, ela teve de vestir a camisa e entrar em campo no segundo tempo para suprir a ausência de 1 homem. O jogo que era equilibrado na primeira etapa, virou ataque contra a defesa na segunda. PC Gusmão cantou a pedra no intervalo. Disse que a dificuldade seria grande e só com muita luta o Vasco prevaleceria.

Na base da entrega e da disposição, prevalecemos. Foi um baita teste para nosso sistema defensivo e passamos com louvor por ele.. Rafael carioca desdobrou-se em campo. Fágner jogava por dois. Nílton espanava até pensamento dos atacantes Rubro-Negros. Rômulo fazia ótima partida na marcação. O garoto Max fazia o que podia pelo seu setor. Fernando mostrou segurança, e claro, Dedé, que merece um parágrafo só para ele.

O que esse zagueiro vem jogando ultimamente enche os olhos. No começo dessa subida de produção, ainda o via como um jogador folclórico. É muito difícil levar a sério um jogador com a alcunha de Dedé. Mas que se leve Anderson Vital a sério a partir de agora. Muito firme nos combates, excelente no jogo aéreo, pouco faltoso. E hoje, quem diria, não há como imaginar a zaga Vascaína sem sua imponente presença. É Dedé e mais 10!

Por mais que a pressão dos baianos fosse intensa, nossos 10 defensores impediram que ela se traduzisse em chances claras de gol. Fernando Prass não teve que fazer nenhum milagre dessa vez e o Vasco permanece invicto no pós-copa sob o comando de PC. O aproveitamento é de time que briga pelo g-4, 12 pontos em 18 disputados. Ah...se não fosse aquele início terrível de campeonato. Nas 7 primeiras rodadas levamos 12 gols e marcamos 5 pontos. Nas 6 últimas levamos somente 2 gols e marcamos 12 pontos. Quem não leva gol, não perde, quem não perde, pontua, quem pontua, sobe na tabela. Quer matemática mais simples que essa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas