sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Mais Treinamento e menos playstation!


Ao contrário do que pensa a maioria, creio que o Carlos Alberto pode funcionar como centro-avante na equipe do Vasco. PC Gusmão também pensa assim e ele deve ter suas razões, pois entende muito do que faz.

E já que entende tanto, fará as alterações no esquema e nas peças se julgar necessário ou se perceber que o sistema não está dando certo. Simples assim. A Tendência é que o Vasco, entrosado e com ritmo, seja escalado no esquema da moda do Futebol Internacional, o 4-2-3-1. Para isso, é necessário mais treinamento e menos Playstation. Não basta apenas lançar um esquema tático, posicionar as peças e “Shazam”, eis aí o time que todos querem.

Para o nosso camisa 19 funcionar com um autêntico camisa 9, ele terá que sacrificar-se. Talvez tenha usado um termo muito pesado, melhor então, terá que adaptar-se a função. Carlos Alberto terá que entoar as palavras do Maestro Felipe como se fosse um mantra:

“A gente perde uma referência no ataque, mas o Carlos Alberto tem características que compensam isso. Toda hora eu falo para ele não recuar muito e ficar entre os zagueiros. Deixa essa marcação com a gente que ele resolve na frente. Eu, o Zé Roberto e o Éder vamos nos revezar para tentar fazer a bola chegar. Vai dar certo”... e para isso, novamente, T-R-E-I-N-A-M-E-N-T-O!

O capitão quando peca, o faz por excesso, nunca por omissão. É um jogador que gosta do jogo, gosta da bola, mas que terá de acostumar-se a participar de maneira diferente da partida. As características dele realmente diferem bastante daquilo que concebemos como autêntico centro-avante, no entanto, é mais fácil você atribuir uma função nova a um jogador inteligente do que tentar incutir na cabeça de um perna de pau novas atribuições. Ademais, sou sempre a favor dos jogadores de habilidade. Ter o Carlos Alberto no ataque quando tivermos a posse de bola, é ter mais um jogador de qualidade no trato da bola, mais um jogador improvisador e criativo, mais um que em um lance pode deixar o zagueiro pra trás e colocar dentro da rede. O capitão perto da área, de mano contra qualquer zagueiro é um perigo constante.

Contudo, PC Gusmão dá indícios de que na partida de Domingo, frente ao Vitória, em São Januário, manterá o mesmo esquema das últimas rodadas, escalando 3 volantes no meio campo Vascaíno. Esquema que até aqui vem mostrando solidez defensiva e nos garantindo a invencibilidade pós-copa. Somado ao esquema adotado desde o retorno do Campeonato, teremos em campo os reforços dos nossos jogadores diferenciados e um banco de reservas com opções capazes de mudar efetivamente a maneira do time jogar, se for esse o caso.

Com 3 volantes, 2 meias, 5 atacantes ou nenhum centro-avante, a obrigação do Vasco é vencer em São Januário, continuar subindo na tabela e aproximando-se do g-4. PC Gusmão sabe o que faz, tem o elenco nas mãos, os jogadores estão dedicando-se ao máximo e a nós só cabe acreditar e fazer São Januário reviver seus melhores dias.

Vai dar certo!
______________________________________________________

Bom galera, eu também estou no TWITTER, sigam-me os Bons @joao_almirante

Um comentário:

  1. Almirante,

    Acho também que Carlos Alberto pode render ali, mas tem que ter acima de tudo cabeça pra isso. Como você disse, o centroavante pega menos na bola, às vezes recebe quadrada e de costas. Ontem ele se emputeceu com a marcação do Wallace, que é grande e toda hora subia sobre ele pra cabecear. Se fosse um Nunes ou um Élton acharia normal.
    Que ele tenha inteligência para cumprir essa missão até porque agora não temos mais o Élton e Nunes e Coelho estão machucados.

    Abraço e sds vascaínas!

    @diegocrvasco

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas