terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Fator Dedé!



Complicado escrever sobre o Vasco ultimamente. Nem o mais pessimista dos Vascaínos e o mais otimista dos flamenguistas poderiam esperar que tivéssemos atuações tão catastróficas nas primeiras rodadas da Taça Guanabara.

Mas vamos com calma nas análises.

As derrotas indicam que algo precisa ser mudado, mas não podem turvar nossa consciência.
É razoável que no pós-vergonha sejamos mais apocalípticos que racionais. É mais do que justo protestar. Ser derrotado por times mínimos do Rio é de fato ultrajante.
Mas vamos com calma nas análises.

Longe de mim querer atenuar o vexame, mas algumas coisas devem ser consideradas.
Não falo nem da falta de ritmo, nem da falta de pernas e tampouco da falta de vergonha na cara, principal responsável pelos nosso infortúnios.

Falo só da falta do Dedé. Como já escrevi em um artigo, ele não faz parte do sistema defensivo do Vasco, ele é o sistema defensivo do Vasco, um pilar sem o qual a estrutura da equipe jamais conseguirá se sustentar.

Caso tivesse jogado essas duas primeiras rodadas, dificilmente o Vasco estaria sem pontos na tabela. Jogamos também sem Eduardo Costa e Anderson Martins, jogadores que com certeza contribuiriam para um melhor desempenho defensivo da equipe, algo, aliás, que foi possível vislumbrar no amistoso contra o Cerro Porteño.

Nossa zaga não será o problema tão logo o Dedé seja regularizado. O problema que temos é conhecido, antigo e ninguém dedicou-se de verdade para resolvê-lo.

O Marcel conforme o passar dos jogos vai comprovar o que todos já esperavam: Não será solução, apenas mais um problema. Bato nessa tecla desde a série B! Precisamos de um atacante de renome, com faro artilheiro e que intimide o adversário só com a simples presença. Sem um cara desse tipo vestindo a nossa camisa 9, nosso ataque vai continuar pouco produtivo.

Insisto. O Vasco não é fraco como se mostrou até aqui. Completo, encara de igual pra igual qualquer time do país.

Vamos, pois, com calma nas análises.

Principalmente quando formos pedir a cabeça de alguém. O Felipe sempre foi um cara meio displicente em campo, e isso muitas vezes prejudicou as equipes que defendeu. Mas tem uma outra coisa que o Felipe também é: MUITO BOM DE BOLA, e isso sempre conseguiu superar seu temperamento relapso. Ele errou no último jogo, mas havia conduzido o time ao empate. Pediu desculpas a torcida, abaixou a cabeça e prometeu empenho na próxima. Certinho, como deve ser. Precisaremos do maestro esse ano, assim como precisaremos do Carlos Alberto, do Edér Luis, do Fágner, do Ramón, do Prass, do Eduardo Costa, e claro, do pilar de sustentação que faz todo o time melhorar, Dedé.

É ruim perder, ouvir provocação dos rivais, mas o mundo não acaba se não formos às finais da Taça Guanabara, algo ainda perfeitamente alcançável desde que o Dedé retorne ao time o quanto antes. Se ficarmos de fora, paciência e trabalho.

Provavelmente trocaremos de técnico. Isso é questão de tempo. Pouco tempo. Planejar é importante, longo prazo é importante, mas chega um ponto em que a relação elenco, treinador e torcida azeda e o melhor a ser feito é mudar. Será bom paro o Vasco e para o PC.

Que seja feito o mais rápido possível, para que outro técnico tenha a oportunidade de realizar um trabalho que consiga mostrar a verdadeira força do nosso bom time, que até agora não apareceu, para deleite de meia dúzia de comentaristas que nunca vêem jogo do Vasco e não escondem a satisfação com as nossas derrotas, sem sequer mencionar o peso da ausência de você já sabe quem.

Saudações Vascaínas.

2 comentários:

  1. Concordo com quase tudo e acrescento: se o Dedé sair mesmo no meio do ano como algumas notícias indicam vai ser um drama! Melhor a diretoria se virar pra segurá-lo por mais tempo!!

    Só discordo na parte do PC. Reconheço que ele tem mandado mal em algumas coisas mas acho que é melhor ele ficar... se não por outros motivos só porque simplesmente não tem ninguém melhor pra por no lugar.

    saudaçoes,

    @sobrevasco

    ResponderExcluir
  2. Fala João,

    Beleza?

    O Dede realmente é um zagueiro muito bom. Se realmente o time jogou mal por que ele não esta jogando então estamos com um problema enorme, que é a dependencia do Dede. Isso não pode acontecer. Os reservas quando entrarem tem que dar conta do recado, o time não pode ser tão instável. Um time campeão precisa de elenco.

    Mas, para mim o grande problema do Vasco não foi a falta dos titulares e sim erro na armação da equipe. Felipe e CA, jogadores de armação, não podem receber a bola de costa, assim fica fácil marcar eles. Nosso maior problema é o técnico. Ele é péssimo. O time do Flamengo, sem os reforços é pior que o do Vasco, porém, rende mais porque é bem armado.

    O Marcel ainda não da para analisar, ainda não recebeu nenhuma decente para ser avaliado.

    Na minha opinião, o que precisamos urgente é de um bom técnico. O Dorival tinha um time pior e que rendia mais.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas