quinta-feira, 7 de abril de 2011

Só pode ser bom sinal!


Bernardo foi decisivo e salvou o Vasco do vexame em São Januário

O Vasco venceu o ABC beneficiado pela arbitragem. Ponto.

Sem o pênalti inexistente marcado sobre Ramón, convertido por Alecsandro, possivelmente amargaríamos mais um daqueles vexames.

Ontem jogamos o tipo de partida que pode destruir toda uma temporada, abalar todo um projeto, instaurar uma crise devastadora dentro do clube. Partidas que já nos cansamos de ver o Vasco perder.

Mas, dessa vez, vencemos! E Com ajuda da arbitragem!

Tem algo bom vindo por aí! O Universo haveria e haverá de nos compensar ainda mais!Só pode ser bom sinal.

Não me lembro da última vez que o Vasco tenha sido decisivamente ajudado numa partida importante. Prejudicado, consigo de cabeça lembrar milhões.
Curioso também que não me lembro de tanta indignação por parte dos comentaristas. Não lembro de terem usado o termo ESCANDALOSO quando o Willians meteu a mão na bola na semi final da Taça-Rio ano passado, ou considerado ULTRAJANTE o pênalti não marcado em cima do Élton na semi final da Copa do Brasil 2009, contra o Corinthians.

O Vasco venceu ajudado, mas não foi só a arbitragem a responsável pelo resultado.

Começamos mal o primeiro tempo, inexplicavelmente tentando chutar todas as bolas do meio campo. Não é possível que isso não seja uma recomendação, errada, do treinador. Ricardo Gomes deveria desencorajar jogadores como Rômulo e Ramón de tentar arremates. Dessa maneira, queimamos diversos lances de ataque. Sem nos encontrar na partida, víamos o ABC crescendo para cima do Alan. E o que faz a defesa do Vasco? Abandona o Allan, quase que pedindo; “ façam o gol explorando nosso lateral improvisado”. Alan leva um drible infantil, ridículo, leigo, amador, Dedé recua inexplicavelmente para o meio da área, os volantes ninguém sabe, ninguém viu, e gol. E Drama! E caos!

Mais o Vasco precisava de resultado, e mais se afobava para tentá-lo de qualquer maneira. Na volta para o segundo tempo, parece que o time retonornou mais calmo, mais concentrado. Foi aí que veio o lance do pênalti. Para mim, inexistente, para o juiz, ainda bem, claríssimo, com direito a expulsão e tudo mais. Bola na rede, tudo igual, mas o drama ainda pairava sobre a colina.

Recomeçava o jogo de nervos. O ABC parou de assustar e o Vasco martelava, martelava, e errava, errava, errava. Felipe descortinou passe fantástico para Alecsandro, que dominou com estilo jogando na frente, saiu na cara do goleiro, vai Alecsandro.... Não!!!! Não é possível que se perca um gol daqueles, num jogo daqueles, com todos aqueles torcedores aflitos, naquele estádio, e nessa casa. Até que Éder Luis, incansável, tabela com Alan, invade a área, adianta um pouquinho, vai no gás e dá toque consciente para Bernardo chutar com raiva e explodir em alívio a nação cruzmaltina.

O Vasco, que há anos se especializa em anti-climax, consegue vencer, avançar, embalar, permitir que o torcedor também tenha sua confiança estabelecida. Importa muito para o nosso time nessa fase os resultados, mais até do que a regularidade de um grande futebol. Nosso time ainda está se ajeitando, as peças ainda estão se encaixando, mas o importante é perceber evolução a cada partida, e perceber que dentro de campo finalmente temos time para não temer qualquer adversário e jogar verdadeiramente como time grande, como Vasco.

2 comentários:

  1. Jogo suado mesmo, mas foi mt bom!
    Tenso o tempo td!
    Não gosto do Vasco, mas seu blog ta
    legal, parabéns e boa sorte na carreira!

    ResponderExcluir
  2. ele é o cara salvou a gente valeu be!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas