segunda-feira, 27 de junho de 2011

Metade, só metade!


O nome de Fernando Prass deve estar na primeira linha de qualquer análise sobre a vitória simples do Vasco sobre o Atlético Goianiense.

O goleiro se vestiu de muro e, junto dos dois melhores zagueiros do Brasil, foi o grande o responsável por fazer que o golaço relâmpago do maestro Felipe, também de menção obrigatória, garantisse o importante resultado fora de casa.

Nosso capitão merece todos os louros da vitória e os merecidos tapinhas nas costas dos companheiros, agradecidos pelo “bicho” garantido. Mas pêra aí! Tenho que confessar de que quando o Vasco enfrenta o Atlético ( Qualquer um deles!), não espero que o nosso arqueiro seja o melhor em campo.

Isso significa apenas uma coisa: O Vasco não cumpriu toda sua obrigação na partida.

Penso que só realizamos metade, a mais importante pelo menos, ainda assim apenas a metade de nossa responsabilidade. Vencemos o jogo, acumulamos mais três pontos, mas não cumprimos nossa obrigação institucional de dominar um adversário mínimo, independente do território goiano, carioca, terráqueo ou lunar.

O gol cedo geralmente é um prenúncio: De goleada ou de perigo.

Cabe ao time definir a postura que irá adotar a partir dele e enveredar por um desses caminhos. O Vasco do primeiro tempo pareceu que iria em busca da vitória tranqüila, embora a estrela de Fernando Prass já tivesse dado indícios que brilharia. O time controlou a posse de bola no campo de ataque, se valendo da maior qualidade que têm.

A segunda etapa foi de uma postura preocupante ao meu ver. Houve um recuo excessivo e o Vasco foi pressionado. É até normal que um time atrás no placar ensaie uma pressão, mas acho inadmissível que o time campeão se conforme com isso e deixe-se pressionar. Por que abdicar de ser melhor? Por que abdicar da maior capacidade técnica e não trabalhar a bola no campo ofensivo? Toca, toca, trabalha, devolve, toca, trabalha...simples assim! Temos time para isso e o Atlético (Qualquer um deles!), não têm time para evitar nossa supremacia se este for nosso desejo.

Na parte final, alguns contra-ataques foram puxados, mas o erro no último passe, aquele que o Felipe e o Juninho costumam sempre acertar, caíram sempre em pés menos precisos. A má partida de Éder Luiz e a fantasmagórica atuação de Diego Souza contribuíram para o não funcionamento da nossa estratégia. Mas vá lá, vencemos e nos aproximamos do primeiro posto, que há de ser nosso no final! Se não fossem os quatro pontos imbecilmente jogados fora, estaríamos lá!

Depois de uma fase de baixa na tabela, teremos candidatos ao título pela frente. Vamos ver se teremos a atitude campeã e seguir firme no objetivo.

Para não passar batido, também é questão de obrigação reverenciar a grande massa cruzmaltina que esteve no Serra Dourada ontem. Massa que mostra, repetidas vezes, que está em grande número em todo território nacional, contrariando os métodos interesseiros das pesquisas. Parabéns para nós!

E o Data... ... ... o Datafoda-se

4 comentários:

  1. Datafoda-se !!!!!!!!!!!!!!

    Vou me apropriar do termo daqui pra frente. Te pago direitos autorais sob forma de cerveja gelada, serve?

    Abração, parceiro.

    ResponderExcluir
  2. Fala meu Brother! Essa cerveja tem que sair. Já tá fazendo aniversário de dois anos que ela ta prometida! Vamo resolver esse negócio ae na estréia da majestade.

    A vontade pra usar o termo! hehehe

    abraço!

    ResponderExcluir
  3. Quando o goleiro é o melhor em campo, é sinal de que as coisas não foram muito bem. Contra três grandes adversários, precisaremos jogar melhor do que ontem e agora é hora decisiva para mostrarmos que estamos na briga por esse título.

    Que a Muralha continue firme e o meior pra frente também faça sua parte.

    Abraço e sds vascaínas!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas