terça-feira, 16 de agosto de 2011

Tô rumo ao PENTA e você nem viu!



“É utopia imaginar que o Vasco vai conquistar alguma taça esse ano. O fio de esperança é uma linha de delírio . Daqui a pouco começa o discurso de sempre: “ O caminho na Copa do Brasil é fácil até as semi-finais, sei lá”, “O time do Goiás que era uma M quase ganhou a sul-americana, a gente pode também”. Provavelmente embarcarei na conversa, como bom Vascaíno fundamentalista que sou. “

Esse parágrafo foi extraído de uma coluna minha em 11 de fevereiro, após uma das inúmeras e vergonhosas derrotas no campeonato carioca. Escrita em um momento de completa ira, acredito que revela uma passionalidade com a qual você certamente é capaz de se identificar. Prosseguia espinafrando todo elenco, duvidando da capacidade do recém chegado Ricardo Gomes e, fundamentalmente, esquecendo que o mundo do futebol pode dar voltas muito rápido. Falava, portanto, besteiras, como a maioria dos entendidos da televisão faz a todo tempo.

Em minha defesa, afirmo que no instante em que aquelas linhas pariam-se do ódio, julgo que fosse impossível para qualquer um ter a sensibilidade de que o momento que vivíamos seria fundamental para que a temporada vascaína tomasse rumos, àquela altura, mais que imponderáveis.

Precisávamos de uma verdadeira revolução, não só uma mudança. Não havia outro caminho a não ser agir e sair finalmente da letargia que parecia acometer a todos no clube. Sabe-se lá de onde, apareceu dinheiro e o elenco foi reformulado. No comando , a serenidade de Ricardo Gomes foi fundamental para o quadro de terra arrasada rapidamente se modificar.

A confiança voltou e os resultados foram aparecendo. Ainda no carioca, conseguimos nos recolocar na disputa, sendo derrotados pelo urubu nas penalidades da Taça Rio. Naquela altura, já não era nem mais delírio imaginar que poderíamos vencer a Copa do Brasil como vencemos. Após a conquista e a vaga assegurada na Libertadores, o clube promove o retorno de seu maior ídolo em atividade, a personificação de uma era das mais vencedoras da instituição.

Aí, o delírio passou a ser imaginar que esse time não se colocaria em todas as disputas que se seguiriam, como faz agora nesse momento. Empatado tecnicamente na liderança do Brasileiro, pode-se dizer que o Vasco reúne o necessário para que o time brigue até as últimas conseqüências, em condições de igualdade- quando não de superioridade, pelas duas taças que disputa.

Ao que dirão: Mas o elenco ainda apresenta carências, precisamos de laterais, de atacantes de melhor nível. Ao que direi: concordo, mas carências em seus elencos todos os times têm, passa longe de ser uma exclusividade nossa. E diria mais: o que não temos é infinitamente menor do que o que já temos.

A nossa grama é sem dúvida uma das mais verdes da vizinhança. Senão vejamos: Dois zagueiros de nível selecionável, um meio campo recheado de opções de qualidade tanto defensivamente quanto ofensivamente, dois maestros absolutamente extra-classes e a melhor bola parada do Brasil, que faz a diferença em um campeonato de tenso equilíbrio.

Acima foram elencados apenas os recursos humanos, mas o invisível conta muito no futebol. Temos hoje um grupo sem vaidades, sem quaisquer melindres, absolutamente confiante em suas possibilidades e, acima de tudo, consciente de que representa uma das camisas mais pesadas do futebol continental. A frase do meu pai, do qual herdei muito mais as letras do que a paixão pelo futebol, é emblemática: O Vasco agora voltou a ser grande, né?

Voltar não é a palavra certa, uma vez que é impossível retornar a uma condição da qual jamais se saiu. A grandeza do Vasco não conseguiu ser diminuída nem mesmo pela “politicália” que cerca o clube e tampouco pela escassez de conquistas. Faltava ao Vasco , isso sim, voltar a ter modos de gigante, justificando sua irrefutável condição. O resto seria conseqüência.

Antes tímida, a grande mídia já não consegue tapar os olhos para não ver. Somos uma realidade, é impossível negar, impossível não levar a sério a voracidade de um gigante que acaba de acordar e dá sucessivas mostras de estar faminto. O time não só quer, como transparece que quer e acredita que pode.

Eu tô rumo ao penta e você nem viu!

3 comentários:

  1. perfeito, voce foi perfeito no seu texto, é o q eu dizia aqui em casa no começo do ano, quer saber, é melhor verem q o elenco ta ruim agora e fazerem um revolução do q ganhar umas, perder outras e ninguem fazer nada!!! quanto a grandeza do vasco, ahhhh isso ninguem vai conseguir diminuir, nem midia, nem falta de titulos, isso é impossivel pra um time que tem uma torcida como a nossa, q não é modinha, e sim mta mta paixão! a midia finge q não ta nos vendo, eu so lamento, pq no fim do ano não vão ter so q nos ve, vão ter q nos ouvir e nos engolir!! abraços.

    ResponderExcluir
  2. Boas!

    Devo dizer que gosto imenso deste blogue!

    Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p

    http://davidjosepereira.blogspot.com/

    Saudosos cumprimentos!

    ResponderExcluir
  3. Bora cara volta a escrever ae, varias coisas importantes acontecendo e tu sumiu

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar sua opinião sendo Vascaíno ou não.

Saudações Cruzmaltinas